Até que o alimento industrializado chegue ao consumidor final, as grandes indústrias têm um processo estruturado de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) de novos produtos alimentícios.

O processo de pesquisa e desenvolvimento de novos produtos, geralmente, inicia na concepção da ideia do produto, em que serão realizadas pesquisas no âmbito científico e análises laboratoriais regulatórias.

Posteriormente, testes de desenvolvimento são realizados; nesta etapa, análises quanto à formulação, proporção e procedimentos de fabricação são definidas para a posterior análise de aceitação do produto, comparação, intenção de compra, afetividade do consumidor quanto ao produto desenvolvido, e outros requisitos que pode variar em cada indústria e segmento. 

Após os resultados demonstrarem o potencial de produção, mais estudos são demandados para elaboração da embalagem e informações de rotulagem, seleção de fornecedores de ingredientes e análise de viabilidade econômica, até alcançar que, enfim, seja validado para produção final. 

Como visto, o desenvolvimento de um novo produto ou até mesmo a adequação ou inovação de algum já existente demandam muito tempo e custo com análises e estudos multidisciplinares. 

 

E como a Biologia Molecular pode auxiliar em P&D?

Durante toda a cadeia produtiva, os alimentos envolvidos precisam apresentar-se e manter-se inócuos/seguros no âmbito microbiológico. Assim, a biologia molecular:

  • Torna possível a identificação de microrganismos na planta industrial no momento da produção, certificando que os equipamentos utilizados para a fabricação do produto estão aptos a operar sem oferecer risco de contaminação;
  • Oferece menor tempo gasto com análises microbiológicas;
  • Fornece laudos rápidos para o recebimento de matéria-prima e auxilia na seleção de fornecedores;
  • É capaz da Identificação da espécie animal, aplicada principalmente para detecção de fraude comercial – utilizada para verificar se a matéria-prima adquirida é realmente a que foi requisitada ou se foi trocada por alguma de valor comercial menor;
  • Torna-se usual em produtos cárneos fermentados, pois o DNA estudado na matriz alimentar é pouco afetado durante os processos industriais de aquecimento e fermentação.

O emprego da Biologia Molecular não é limitado apenas à segurança de alimentos, mas sim como uma ferramenta que pode ser utilizada em todo o processo de P&D industrial.