Devemos atentar para três pontos-chave quando pensamos na qualidade da água em aviários: quantidade, qualidade físico-química e qualidade microbiológica.

É conveniente ressaltar que milhares de aves têm acesso a água de uma mesma fonte, e, qualquer comprometimento em seu fornecimento, pode levar sérios prejuízos ao produtor.

Apesar da importância, frequentemente, o aspecto referente à qualidade da água consumida pelos animais ainda é subestimada pelos empresários e pela maioria dos técnicos avícolas (CARDOZO, 2012; PINTO et al., 2008), o que pode oferecer riscos à saúde animal.

 

Consumo de água em aviários

O consumo de água pode variar muito de acordo com alguns fatores como: temperatura ambiental, composição da dieta, idade e sexo das aves, uso de aditivos, como os anticoccidianos na ração, temperatura da água, etc.

Recomenda-se também que a água fornecida às aves esteja fresca. Segundo Macari (1996), temperaturas de água acima de 24ºC podem acarretar uma diminuição no consumo da mesma.

Muita atenção deve ser dispensada aos bebedouros, sempre preservando pelas boas condições de uso, com vazão adequada e altura ajustada ao tamanho das aves.

 

Qualidade físico-química da água em aviários

Características como cor, odor e sabor da água devem ser observadas diariamente, atentando-se para possíveis alterações.

A turbidez da água, relacionada à quantidade de sólidos em suspensão é outro parâmetro físico a ser monitorado por meio de análises laboratoriais.

A análise da composição química da água é outro ponto importante no controle da qualidade da água, devendo ser periodicamente monitorada.

Os Sólidos Dissolvidos Totais (SDT) indicam a concentração de minerais como cálcio, magnésio, enxofre, sódio e cloro na água.

Valores elevados de SDT podem ser prejudiciais ao consumo de água, desempenho e sanidade do lote.

 

Qualidade microbiológica da água em aviários

Baseado no prolongado tempo de sobrevivência de alguns microrganismos patogênicos na água e o grande número de aves que têm acesso à mesma fonte de água, a transmissão hídrica assume um fundamental papel na epidemiologia de várias enfermidades aviárias.

A contaminação da água por agentes patogênicos pode ocorrer na fonte de captação da água (nascentes, poços artesianos, poços rasos), na tubulação que conduz a água ao galpão e/ou nos bebedouros (através de secreções ou excreções das aves).

Doenças bacterianas, fúngicas, virais e por protozoários podem ser veiculadas pela água das aves.

A cada ciclo de produção o sistema de tubulações do aviário deve ser limpo e desinfetado a fim de prevenir o aparecimento de fungos, sólidos, limo e outras contaminantes.

Primeiramente, deve-se utilizar água sob pressão para retirar a matéria orgânica das tubulações e em seguida recomenda-se o uso de desinfetantes alcalinos, para eliminar a contaminação orgânica e, por fim, utilizar um desinfetante ácido para remover a crosta de limo do sistema.

A monitoria da qualidade da água deve ser periódica, tornando-se rotina na granja.

As análises bacteriológicas são de extrema importância para indicar uma possível contaminação da água por microrganismos.

Diante da grande diversidade de microrganismos que podem ser encontrados na água, são utilizados grupos de microrganismos como indicadores de contaminação.

Os coliformes totais e coliformes fecais sugerem a contaminação da água por agentes de origem intestinal. Os microorganismos mesófilos, que também são pesquisados, podem interferir na detecção dos coliformes, indicando resultados falso positivos na pesquisa desses agentes. Dessa forma, a pesquisa dos mesófilos é fundamental no exame bacteriológico.

Como a contaminação da água é um processo dinâmico, podendo variar ao longo do tempo, é recomendável haja uma rastreabilidade e que sejam realizadas análises de água a cada ciclo de produção ou pelo menos duas vezes ao ano, sendo uma na época da seca e outra na época das águas.

Para análises microbiológicas é interessante coletar amostras de três partes do sistema de água: da fonte, do reservatório e das torneiras localizadas nas instalações, o que facilita a verificação de possíveis problemas.

 

Acesse esse link para entender um pouco mais sobre contaminantes em aviários e a influência na produção de ovos.