O Brasil é um dos maiores produtores de rações animais do mundo e, segue atento às inovações e adequações que atendam as necessidades deste setor. Programas de monitoramento de qualidade na indústria de rações contêm controle dos ingredientes, do processo, do produto final, de substâncias tóxicas e patógenos. Cuidados com a qualidade da ração destinada para produção animal estão relacionados ao desempenho e a segurança ao longo da cadeia produtiva. 

RAÇÕES ANIMAIS: CONTROLE DE QUALIDADE E MÉTODOS DE ANÁLISE

Para se obter a máxima eficácia na produção animal são considerados, principalmente, os seguintes fatores: genética dos animais, higiene durante o manejo e a alimentação. E entre estes fatores citados, o maior custo ao produtor está relacionado com a alimentação destes animais.

Admite-se que a dieta animal é importante por estar diretamente relacionado com o produto final. A ração fornecida reflete na  eficácia e velocidade de crescimento, visando proporcionar o melhor desempenho dos animais. 

 O controle de qualidade das rações torna-se, assim, um elemento chave para garantir uma produção com parâmetros satisfatórios constantes e suprir a alta demanda. É comum que o tempo de estocagem da matéria-prima seja menor que o tempo necessário para a realização das análises convencionais e que ela seja destinada aos animais logo após a fabricação. 

Métodos de análise mais ágeis que os convencionais são necessários para o acompanhamento da produção, identificação de microrganismos-alvos e escolha de medidas preventivas/corretivas. São utilizados tanto métodos rápidos quanto métodos de longo prazo, sendo:

  • Métodos rápidos: Envolvem a detecção, em poucas horas, de patógenos e outros indicadores de qualidade.
  • Métodos de longo prazo: Podemos citar o mapeamento de microbiomas para criação de histórico de parâmetros microbiológicos, banco de dados e tendências de sazonalidade para avaliação da eficácia da higienização, por exemplo.

 

ALTERNATIVAS PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DAS RAÇÕES ANIMAIS

Existe uma forte relação de microrganismos presentes tanto na ração quanto nos animais destinados à produção de alimentos. Muitas vezes, a contaminação por bactérias na ração pode caracterizar um vetor de bactérias patogênicas para os produtos finais. 

Pensando no bem-estar animal, desempenho produtivo e na biossegurança, uma alternativa interessante são as dietas com probióticos, prebióticos e simbióticos. Estudos comprovam que a partir da colonização intencional da microbiota intestinal com bactérias probióticas é possível eliminar bactérias patogênicas. 

Em frangos de corte, por exemplo, foi encontrado melhora na diversidade da microbiota, imunidade, inibição de patógenos, disponibilidade enzimática pelo consumo de probiótico constituído de B. amyloliquefaciens

Já em galinhas poedeiras observou-se melhora na produção de ovos e na absorção de minerais, além do aumento na contagem de Bifidobacterium spp. cecal e redução de Clostridium perfringens ao introduzir prebióticos nas rações.

 

INVESTIGAÇÃO DE MICRORGANISMOS EM LARGA ESCALA EM RAÇÕES ANIMAIS

Marcadores moleculares são amplamente utilizados na detecção de microrganismos, muitas vezes até nível de espécie e podendo distinguir entre genótipos estreitamente relacionados. 

O RNA ribossomal 16S (16S rRNA) é encontrado em todos os organismos procariotos, possuindo regiões conservadas e variadas, fazendo com que seja um ótimo marcador molecular. Existem 9 regiões hipervariáveis (V1-V9) e a combinação de análises que incluem mais de uma região variável amplia a capacidade de identificação das bactérias

A região V3 é a que contém o maior número de sítios variáveis na sequência do gene 16S rRNA, sendo capaz de discriminar entre a grande maioria das bactérias. Ao ser analisada juntamente com a região V4, pode-se obter um fragmento adequado para análises em larga escala, diretamente por sequenciamento de nova geração (NGS). Dessa forma, não se faz necessário o cultivo prévio dos microrganismos a serem analisados e se consegue uma ótima resolução das espécies presentes na amostra.

O DNA nuclear correspondente ao RNA ribossomal (rRNA) de eucariotos é composto por 3 genes, e estes genes encontram-se em uma região única separados por dois espaçadores internos ITS (internal transcribed spacers). As regiões ITS são amplamente utilizadas como marcadores moleculares na identificação de microrganismos eucariotos, eleitas inclusive como regiões “código de barras” universais para a ampla detecção de espécies de fungos

 

 

REFERÊNCIAS

ALMEIDA, M.A. Formulação não linear de ração para frangos de corte: modelagem e otimização. 2013. 153f. Dissertação (Mestrado em Ciência Animal) – Universidade Estadual Paulista, Araçatuba, 2013. 

CAO, G.T.; ZHAN, X.A.; ZHANG, L.L.; ZENG, X.F.; CHEN, A.G.; YANG, C.M. Modulation of broilers caecal microflora and metabolites in response to a potential probiotic Bacillus amyloliquefaciens. Journal of Animal Physiolgy an Animal Nutrition. v.02, p.909-917. 2018

Machado, Noédson de Jesus Beltrão, 1992- Xilanase e probiótico em dietas para frangos de corte / Noédson de Jesus Beltrão Machado. – Parintins, 2019. 67 f.: il. 

RAHMAN, A.; BAYRAM, I.; KHANUM, S.; ULLAH, S. Use and Calibration of Near Infrared Reflectance Spectroscopy in Feed Analysis: A Mini Review. Pakistan Journal of Life and Social Sciences, v. 13, n. 1, p. 1-7, 2015

Reemergence of Clostridia perfringes: is it feed related?. In Proceedings of 20th Central American Poultry Congress. Managua, Nicaragua. Richardson, K. E. e Longo, F. A. 2008.

ŚWIĄTKIEWICZ, S.; KORELESKI, J.; ARCZEWSKA, A. (2010a) Laying performance and eggshell quality in laying hens fed diets supplemented with prebiotics and organic acids. Czech Journal of Animal Science, v.55, n.7, p.294-304, 2010.