Dizer que a água é essencial para as indústrias de alimentos e bebidas não é novidade. Um volume considerável de água é utilizado nas indústrias de alimentos, e isso independe da planta industrial ou do produto fornecido (frigoríficos, bebidas alcoólicas, bebidas não-alcoólicas, latícinios etc).

Quem atua em abatedouros, por exemplo, tem ciência da elevada demanda de água em diferentes operações como:

  • Autoclavagem das esteiras;
  • Chuveiro de carcaças;
  • Preparo de salmoura (tempero);
  • Lavagem de utensílios;
  • Barreira sanitária (gabinete de higienização de mãos e botas);

 

São inúmeros os contaminantes que podem ser carreados pela água. E no post de hoje, falaremos um pouco sobre como a Neoprospecta detecta micro-organismos em amostras de água.

 

Controle da qualidade da água

Para auxiliar no controle de qualidade da água é imprescindível saber de onde vem a sua água, seja de subsolo, lagos ou reservatórios. Além disso é recomendado que a indústria tenha seu próprio tratamento de água.

A análise de micro-organismos em água pode ser realizada por diferentes tipos de abordagens. Existe uma grande diferença entre os métodos dependentes de cultivo e independentes de cultivo, para os quais diferentes perfis bacterianos serão recuperados ao final da análise.

 

DMD Bactéria: Diagnóstico Microbiológico Digital em amostras de água

Para a utilização de abordagens de microbiologia convencional (MC) é necessário que se tenha uma ideia do grupo de bactérias a ser pesquisado, uma vez que meios de crescimento específicos são necessários para a recuperação das bactérias de interesse.

O mesmo tipo de metodologia deve ser empregado para o DMD bactéria enriquecido, que apesar de ser mais generalista que as metodologias de MC, ainda assim é restritivo para bactérias mais específicas como Listeria monocytogenes, por exemplo, exigindo meios de cultivo mais restritivos para estes microrganismos.

Assim, há uma grande correlação entre os resultados obtidos para o DMD bactéria enriquecido e para as análises de MC.

Além da detecção mais focada para micro-organismos de interesse, a utilização de metodologias dependentes de cultivo é importante quando se tem conhecimento de que não existe uma grande quantidade de bactérias contaminantes na amostra.

Os métodos de enriquecimento favorecem um resultado mais acertado e reprodutível quanto há uma baixa quantidade de bactérias na amostra, levando à limites de detecção mais sensíveis por aumentar o número de células bacterianas disponíveis para a análise. 

Os métodos independentes de cultivo testados para o DMD bactéria demonstraram uma boa recuperação dos resultados, com sensibilidade para recuperação de amostras contaminadas com bactérias em concentrações de até 10².

Estes métodos ainda devem ser avaliados para a recuperação de bactérias em amostras com contaminações em menores concentrações. Contudo, o método independente de cultivo é o método mais indicado para uma avaliação global da amostra, um screening (triagem) geral quando não se sabe se há alguma contaminação específica que possa ser recuperada por enriquecimento. 

Desta forma, o emprego das metodologias como o DMD bactéria, devem ser avaliadas de acordo com o propósito de cada análise, tipo de contaminação esperada e quantidade de micro-organismos, sabendo que, as análises independentes de cultivo identificam o perfil bacteriano global da amostra e as análises dependentes de cultivo são mais direcionadas para micro-organismos específicos que possam estar em quantidades muito baixas nas amostras.

Atualizado em 25/03/2022 por Camila Martins